segunda-feira, 23 de agosto de 2010

EU LAMENTO PELA HUMANIDADE!


“Rebolation. Mulheres Frutas. Adolescentes de dezesseis anos que ganham um programa na MTv porque estão grávidas. Garotas que querem ser anoréxicas. A moda de ser bissexual. Funk. Corrupção. Colírios. Posers. Drogas. Abortos. Pedófilos em geral. Seres humanos que não querem fazer faculdade. Garotas de treze anos que se vestem como vagabundas. Bandas de forró. Os Nardoni. O Goleiro Bruno. Suzane von Richthofen. Pessoas que acham que seu caráter é medido pelo número de followers que elas têm no Twitter. Pessoas que julgam. Pessoas que não têm respeito pelas outras. Pessoas que maltratam crianças. Pessoas que maltratam animais. Pessoas racistas. Pessoas homofóbicas.   Orgulho Colorido. Campos de concentração. Ditadura Militar. Holocausto. Apartheid. Adultério. Divórcio. Gente idiota. Pessoas que cortam os pulsos. Padrões da sociedade que fazem garotas lindas de 14 anos se tornarem bulímicas no intuito de serem magras. Gente que fala mal de pessoas que nem conhece. Garotos escrotos que dão em cima de tudo que se move. Perguntas anônimas do Formspring. Pessoas que ficam falando sobre sexo o tempo todo. Pessoas que puxam briga por qualquer assunto. Pessoas que mentem para aparecer. Fofocas. Pessoas que dizem “Ler pra quê?”. Pessoas que querem te obrigar a estar de bem com a vida o tempo todo. Pessoas que não dão a mínima por tudo que você faz por elas. Pessoas que não acreditam em Deus. Eu lamento pela humanidade por ter criado e perpetuado tudo isso."

domingo, 30 de maio de 2010

PRATIQUE O DESAPEGO

"Toda posse é temporária. Tanto que no momento em que conseguimos algo, já começamos a pensar em ir atrás de outra coisa e no momento em que perdemos algo que possuímos, sofremos!
Que tal se parássemos de sofrer pelo inevitável? Pensem bem: até nosso corpo não é nosso para sempre – somos seus ocupantes temporários!
Igualmente impermanentes são os relacionamentos e o melhor a fazer é aprender a lidar com isso.

Como?

Treinando o desapego das coisas materiais, o desapego amoroso, o desapego total... Porque nada, nem ninguém é seu, nem meu.

O desapego traz paz de espírito!

Paremos de ter medo de perder, de ter o desejo de possuir. E aí se dá o mais interessante: ao pararmos de correr atrás das coisas e das pessoas e passarmos a viver conectados com a nossa essência, nos descobrimos donos do universo inteiro"

terça-feira, 25 de maio de 2010

aaah, os homens ...

Como eu queria entender, todo esse unvierso deles. Que mesmo amando uma pessoa, conseguem numa boa, ficar com outra pessoa e até transar. Só por prazer, só pelo ego. E que o 'sou homem' é sinônimo do 'posso trair'.
Podem ter todas a mulheres aos seus pés, mas sempre vão estar olhando pra bundas e peitos alheios, ou até mesmo querendo outra, aquela coisa carnal. Eles explicam que é uma fantasia, uma cosia de momento e que isso não abalaria o amor sentido. Mas então, o que é o amor ? Acho que é cumplicidade, confiança, ser FIEL, em todos os sentidos. Nada explica essa voracidade dos homens ! E o mais estranho, é que se eles tem uma mulher companheira, solicita, amiga, amável, que sabe que sempre vai estar ali, perde totalmenet a graça. Passam a dar valor, aquela que esnoba, que faz pouco caso para com ele, que não está nem ai. è uma massagem de ego, ir até o final, pra tentar ganhar essa mulher. E aquela, que está em todas as hroas do seu lado ? Ah, essa por estar ali sempre, não tem seu devido valor, é uma coisa 'fácil', vista aos olhos deles, que infelizmente só darão valor quando perder. Desculpa, sou muito leiga pra tentar entender esse universo que me 'encuca' cada vez mais, me deixando mais confusa. Espero um dia entender, espero...

"Faça massagem em um homem e o tenha por uma noite,
Faça massagem no seu ego, e o tenha para sempre"

segunda-feira, 17 de maio de 2010

VIVA !



Viva independente do que aconteça. Não se importe com rotulações, reputações e não se prive. Porque viver ultrapassa qualquer entendimento; o tempo não vai voltar para fazermos o que deixamos de lado, pra proferir palavras omitidas, gestos guardados, beijos esquecidos, abraços não dados... viva, apenas VIVA !